Incongruência


Incongruência

 

Observo no consultório que muitas situações onde há sofrimento e doença são precedidas por alguma crise interna ou externa no sistema de crença e valores da cliente.

As crises externas ocorrem quando visões de mundo e percepções da realidade divergem entre as pessoas que dividem o mesmo convívio. Nestes casos vale a máxima que gosto, religião e futebol não se discute.

As crenças e valores moldam e dão sentido às nossas vidas. Surgem a partir de modelos de mundo diferentes onde nasce a pluralidade de interesses, políticas, religiões e as motivações da humanidade. Os valores nos dão motivação e orientação e quando as pessoas comungam com o maior número de valores possíveis, menores serão as chances de conflitos.

As crises internas são aquelas originadas quando nossos comportamentos, tanto verbais quanto não verbais, não sustentam nossos objetivos. Surgem a partir de fissuras e contradições nos nossos interesses e nas nossas atitudes (E nas faltas delas também!). Então surgem situações como: -Não existe afeto em nossa relação no entanto dormimos na mesma cama! O parto natural é melhor para a criança e mais seguro para a mãe, mas desejo cesariana! Quero dar o "melhor" para os meus filhos e portanto trabalho fora o dia todo (Só os vejo aos finais de semana)!…

O sinergismo de crenças e valores é o que nos conduz a comportamentos e atitudes firmes e seguras. Nos enche de auto-estima e poder. É o que sustenta os nossos sonhos e nos aponta os caminhos para realizá-los. Quando tomamos uma decisão e nos sentimos congruentes sabemos intimamente que podemos seguir adiante.

Um exemplo claro é quando uma mulher em determinado momento da sua vida sente necessidade de estabilidade, porque para vivenciar a maternidade é preciso ter a sensação de segurança. Atingido esse objetivo, há o ritual da entrega e a expressão plena da sua sexualidade. Nessa ambiência, no espaço criado entre dois seres inteiros que comungam da mesma energia, a mulher pode ter a pura experiência de regozijo. Ao perceber-se grávida, a mulher depara-se com a primeira quebra da fina linha que mantém o equilíbrio desse sistema, é nesse momento onde a incongruência ou a falta de segurança, pode levar o indivíduo ao sofrimento.

Ouço frequentemente: – Tenho medo que algo dê errado! Tenho medo de sofrer! Eu não sou capaz disso. Eu não nasci para ser mãe. As pessoas falam que o parir é muito difícil! Eu não suportarei a dor do parto!… No íntimo de cada um de nós existem facetas com diversos interesses, valores diferentes, propósitos diferentes e que se digladiam frequentemente. A maneira como administramos e conciliamos criativamente os variados lados da nossa personalidade é que modificam as nossas capacidades para perseguirmos nossos objetivos.

 

 

Dr. Fábio Batistuta de Mesquita

16 de Agosto de 2010.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s